8 barragens no Ceará apontam alto risco em relatório da Agência Nacional de Águas.

No Ceará, oito barragens de abastecimento de água foram catalogadas como de “Alto Risco” pela Agência Nacional de Águas, em relatório de Segurança de Barragens referente a fiscalizações em 2017, divulgado em novembro de 2018.

Todas as oito barragens identificadas são para abastecimento de água, sendo controladas pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCs), e possuem também “Alto” Dano Potencial Associado.

São elas:

1. Várzea do Boi – no município de Tauá

2. Roberto Costa –  no município de Iguatu

3. Pompeu Sobrinho –  no município de Choró

4. Paulo Sarasate –  no município de Varjota

5. Lima Campos –  no município de Icó

6. Forquilha – no município de Forquilha

7. Frios – no município de Umirim

8. Ayres de Sousa –  no município de Sobral

Pelo menos outras 115 barragens de água no Ceará estão com “Baixo” ou “Médio” Risco, porém com “Alto” Dano Potencial Associado, assim como no relatório da Barragem I de Rejeitos da Mina Feijão, da empresa mineradora Vale, que rompeu na última sexta-feira, 25, deixando 84 mortos e 276 pessoas desaparecidas até o momento em Brumadinho, Minas Gerais.

Em Icó, a barragem de Campos Lima preocupa moradores há três anos. No entanto, o chefe da unidade do Dnocs do Açude Lima Campos, Francisco Alve, deu entrevista à jornalistas afirmando que R$ 8 milhões para recuperação da barragem já foi liberado e aguarda apenas o início das operações.

O Brasil possui um cadastro com 24.092 barragens para diferentes finalidades, como acúmulo de água, de rejeitos de minérios ou industriais e para geração de energia.

Pelo menos 3.543 barragens foram classificadas por Categoria de Risco, sendo 723 classificadas simultaneamente como Categoria de Risco e Dano Potencial Associado altos.

Créditos: Site Miséria.

Compartilhe esta publicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!