A candidatura do delegado de Policia Civil André Firmino à Prefeitura de Itapajé nas eleições de 2020 está migrando do campo das especulações para o campo das possibilidades. Tal probabilidade ganha cada dia mais força através dos discursos de seus apoiadores, propagados, sobretudo nas redes sociais. Eles rechaçam a “velha política” e creem que o prestígio do qual o delegado goza entre a população poderá impulsionar tal projeto político. Firmino ficou muito popular depois de comandar bem sucedidas operações policiais durante o curto período em que esteve à frente da Delegacia de Itapajé, entre novembro de 2017 e julho de 2018. Destacam-se ações de prisão de homicidas, traficantes, mas, sobretudo, a operação “Silêncio dos Inocentes”, em que muitos acusados de abuso sexual contra crianças e adolescentes foram presos.

Os casos mais emblemáticos da referida operação foram a prisão de dois zeladores do colégio Patronato São José, sob acusação de violentar sexualmente uma criança de seis anos, e a prisão do ex-secretário de Assistência Social, Raimundo Lima, conhecido como Dim, acusado de abusar de duas irmãos menores de idade, a mais nova de seis anos.

Firmino também comandou a operação “Educação do Mal”, em que servidores de uma escola municipal foram acusados de falsificar notas escolares para melhorar artificialmente o desempenho da unidade de ensino.

A intempestiva remoção de Dr. André do município, promovida sem justificativas plausíveis pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), alimentou especulações de que o policial estaria contrariando interesses de pessoas influentes, acusações que sempre foram negadas pela cúpula da segurança pública.

Mas apesar da transferência, André já havia conquistado a confiança de grande parte do povo. A credibilidade conquistada, unida ao vazio de novas lideranças observado nos últimos anos e ainda à insatisfação da população com parte significativa dos políticos tradicionais logo fizeram nascer um movimento político em torno da figura do delegado. Apesar de não ter experiência político-administrativa, simpatizantes acham que o delegado tem características próprias de um líder: competência na sua área de atuação, honestidade e pulso firme.

Obviamente há quem reprove uma possível incursão do policial na carreira política, e caso se confirme a disposição de André Firmino em ser candidato, deverá se transformar em alvo dos adversários, como é “natural” na secular política itapajeense.

Alguns se perguntam se ele teria chances de vitória ao concorrer ao cargo de prefeito contra tradicionais “caciques” e ainda, eventualmente, disputando votos com novos nomes que venham a surgir. Estrutura partidária e de campanha, além de financiamento eleitoral seriam grandes dificuldades para superar. O movimento “Endireita Itapajé”, autointitulado grupo que apoia Firmino espelha-se no exemplo do presidente Jair Bolsonaro, que venceu as eleições presidenciais contra adversários com maior estrutura financeira e partidária. Para estes uma vitória de “Davi contra Golias” em escala municipal é perfeitamente possível.

As conjecturas estão postas, mas antes de sabermos as respostas André Firmino, em tempo oportuno, deverá dizer se será de fato candidato. Por enquanto qualquer declaração poderia ser interpretada como campanha extemporânea. Além de honesto o candidato ideal deve apresentar propostas viáveis e projetos de mudança perfeitamente executáveis. Firmino, caso ingresse na vida política precisará convencer o povo de que tem boas ideias e competência para pô-las em prática.

Hoje Firmino é delegado plantonista na cidade de Horizonte, na Região Metropolitana de Fortaleza.

Por: Blog do Mardem.

Compartilhe esta publicação