Com investimentos da SSPDS, drones se tornam aliados em ações das Forças de Segurança no Ceará.

A cada dia, a Segurança Pública do Ceará recebe e desenvolve novas tecnologias que se somam aos trabalhos realizados pelos profissionais de segurança do Estado. Um exemplo disso é as aquisições de Veículos Aéreos Não Tripulados (Vant), ou apenas drones, como são conhecidos popularmente. No ano de 2018, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) adquiriu 27 unidades, com um investimento de mais de R$ 150 mil. As vinculadas da Secretaria – Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Perícia Forense e Academia Estadual de Segurança Pública – receberam os equipamentos para serem utilizados em suas respectivas funções.

“A gente vem traçando uma estratégia e um projeto nessa área de emprego de drones há pouco mais de um ano. Não adianta simplesmente implementar novas ferramentas e tecnologias, sem antes pensar de forma estratégica nos problemas que visamos resolver com essas novas aquisições. Temos um plano já montado para ter o domínio do espaço aéreo para fins de segurança pública, não só na Capital, mas em todo o Estado do Ceará”, ressaltou o secretário da SSPDS, André Costa.

Neste mês de janeiro, um militar do Corpo de Bombeiros do Ceará participou do Curso de Operador de Sistema de Aeronave Remotamente Pilotada (Corpas), no Estado da Bahia. O treinamento, realizado pelo Grupamento Aéreo (Graer) da Polícia Militar da Bahia, é referência nacional do assunto. No próximo mês de abril, outros profissionais da segurança pública cearense serão enviados para participarem de outra turma desta capacitação. No ano passado, a Academia Estadual de Segurança Pública formou 34 agentes de segurança pública no 1° Curso de Operador de Drone, voltado para a Segurança Pública, com carga horária de 40 horas/aula.

O apoio dos drones

Recentemente, a SSPDS divulgou uma ação realizada pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) que teve o apoio de imagens feitas por um drone. Na ocasião, policiais civis da Divisão Antissequestro e da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) desvendaram um sequestro forjado e orquestrado por um motorista de aplicativo, que tentou extorquir a própria família.

Para a realização de um monitoramento mais velado do local que seria a base dos criminosos, os policiais civis utilizaram imagens captadas pelo equipamento, que se torna imperceptível a uma altura de 50 metros. Da mesma maneira, o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) também utilizou de imagens aéreas de um drone na operação que resultou na recuperação de cinco toneladas de explosivos, no último dia 12, no bairro Jangurussu – Área Integrada de Segurança (AIS 3).

Já no policiamento ostensivo, a Polícia Militar do Ceará (PMCE) tem utilizado o equipamento, principalmente em locais de grande movimentação de pessoas, como foi o caso do Réveillon de Fortaleza, na Praia de Iracema; e durante a realização de jogos em locais como a Arena Castelão. Com imagens captadas em uma resolução 4k, a capacidade é semelhante à câmera Flir Safire, utilizada pelas aeronaves da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) da SSPDS.

Os Vants também são utilizados pelo Corpo de Bombeiros durante trabalhos de combate a incêndios. O sobrevoo do drone permite, por exemplo, o monitoramento do fogo e possibilita montar uma estratégia sobre o posicionamento das equipes bombeirísticas. Um exemplo prático de como os equipamentos auxiliaram o Corpo de Bombeiros foi o incêndio na agência de distribuição dos Correios, localizada no bairro Cidade dos Funcionários, em Fortaleza, ocorrido também no ano passado.

Já na Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), a tecnologia dos drones permite, aos peritos, percepções que não são possíveis através da perspectiva das imagens capturadas ao solo. É o caso das atividades desenvolvidas pelo Núcleo de Perícia e Engenharia Legal e Meio Ambiente (Nupelm), que analisa, entre casos de ruptura de estruturas, perícias em parques de diversão, análise de sistemas eletrônicos, incêndios, máquinas e diversos tipos de perícias ambientais. Para atuar com melhor precisão e desenvoltura dos resultados, os peritos do Nupelm utilizam equipamentos, técnicas e cálculos que constatem como se deu determinado ‘sinistro’, por exemplo.

Nova aquisição

Está em andamento pela SSPDS, o processo licitatório para a aquisição de mais 27 equipamentos para as forças de seguranças cearenses. Nesta nova compra, com um modelo mais atual de drones, o valor da compra é estimado em torno de meio milhão de reais. Os novos aparelhos serão equipados com baterias reservas e um tablet incluso, permitindo o aprimoramento dos trabalhos dos agentes.

“De antemão investimos em modelos mais baratos, para criarmos inicialmente, uma cultura dentro da segurança pública voltadas para a importância dos drones em operações. Só assim, futuramente, daremos um passo maior e adquiriremos esses equipamentos a nível internacional e com capacidade militares”, finalizou André Costa.

Fonte: SSPDS.

Compartilhe esta publicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!