As investigações acerca da morte do prefeito de Granjeiro, João Gregório Neto (54), que são conduzidas pelo Departamento de Polícia Judiciária do Interior Sul (DPJI Sul), por meio da Delegacia Regional de Crato, avançaram mais uma etapa visando a elucidação do caso. Na manhã desta quinta-feira (09), mais dois suspeitos de envolvimento no crime foram capturados no Crato, município pertencente à Área integrada de Segurança 19 (AIS 19) do Estado. Ao todo, sete pessoas ligadas direta e indiretamente na ação criminosa foram presas ou tiveram medidas cautelares cumpridas. Dois veículos utilizados no crime foram apreendidos ao longo das apurações. O homicídio aconteceu dia 24 de dezembro de 2019.

Wylliano Ferreira da Silva (30) foi capturado, na manhã de hoje (09), em uma residência situada no bairro Muriti. Contra ele, foi cumprido um mandado de prisão temporária, que havia sido solicitado pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) ao Poder Judiciário, por meio da Vara Única da Comarca de Caririaçu. O homem, que já possuía passagens por receptação, é suspeito de ser o condutor do veículo usado no crime contra o prefeito. Ainda durante as diligências, três indivíduos foram localizados e conduzidos junto com Wylliano para a delegacia de Crato. Após a realização de oitivas, a PCCE solicitou ao Poder Judiciário um mandado de prisão preventiva contra um desses três suspeitos – Wendel Alves de Freitas Mendes (26). A Justiça deferiu o pedido.

Wendel Alves de Freitas Mendes (26) é suspeito de ter feito a articulação para conseguir o veículo usado no cometimento do homicídio e por ter auxiliado na fuga. Na delegacia, o mandado contra o homem, que já possuía passagens por integrar organização criminosa, furto, estelionato, receptação, crime contra a fé pública, falsidade ideológica e crimes de trânsito, foi cumprido. Os dois suspeitos presos – Wylliano e Wendel – encontram-se à disposição da Justiça. Já os outros dois conduzidos, foram ouvidos e liberados.

Conforme levantamentos policiais, a casa, onde os suspeitos foram encontrados, foi utilizada como apoio para os envolvidos no delito. De acordo com o delegado Regional do Crato, Luiz Eduardo da Costa Santos, o grupo é suspeito de integrar uma organização criminosa da região suspeita de alugar veículos de locadoras para serem utilizados em crimes e depois não efetuam a devolução dos automóveis.

“Esses homens vieram até a região trazer um outro veículo, que foi alugado, mas não tinham a intenção de devolvê-lo. Esse é o principal tipo de golpe que eles aplicam. Eles subtraem os carros das locadoras e utilizam em crimes ou repassam para pessoas que moram em sítios, onde não existe fiscalização. Eles serão ouvidos aqui na delegacia e avaliaremos a situação flagrancial de cada um. A investigação sobre o homicídio do prefeito de Granjeiro segue em andamento e logo esperamos chegar a uma conclusão que a sociedade espera, que é a resolução por completo desse caso”, finalizou o delegado.

Cronologia da Investigação

No dia 9 de janeiro, a Polícia Civil apresentou alguns detalhes do caso e divulgou a identidade de um dos investigados. O Poder Judiciário determinou que Vicente Félix de Souza (60), pai do atual prefeito de Granjeiro, utilizasse tornozeleira eletrônica e que se mantivesse em área de restrição específica, como medida cautelar.

Um segundo veículo apontado nas investigações, modelo Chevrolet S10, de propriedade de um parente de Vicente, foi apreendido no mesmo dia. Documentos e aparelhos celulares encontrados em endereços de Vicente Félix também foram apreendidos e encaminhados para a Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) para serem submetidos à análise pericial.

Ainda em janeiro, nos dias 16 e 28, em ações realizadas no Piauí e Maranhão, a Polícia Civil prendeu outros três homens que teriam ligação com o veículo – um Volkswagen Polo –, também apreendido, utilizado na morte do prefeito.

Já no último dia 03 de março, José Plácido da Cunha (53) foi capturado em uma residência situada no bairro Cidade Nova, em Maracanaú (AIS 12). A prisão ocorreu por força de um mandado de prisão temporária em razão de ameaças realizadas pelo suspeito a testemunhas do caso, além de outros indícios de autoria delitiva do crime.

Denúncias

A população pode colaborar com as investigações através dos canais de denúncias, que podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da SSPDS, ou ainda para o número (88) 3102-1285 , da Delegacia Regional de Crato. O sigilo e o anonimato são garantidos.

Postado por: Secretaria de Segurança do Estado do Ceará.

Compartilhe esta publicação