A Polícia Rodoviária Federal (PRF) deve fazer uso de um novo aparelho para detectar motoristas que consumiram álcool. O aparelho de triagem, chamado de “bafômetro passivo”, faz testes apenas com um sopro, excluindo a necessidade do condutor descer do veículo.

Ao assoprar o equipamento, uma luz vermelha se acende caso haja alguma quantidade de álcool no ar expelido. Nesse caso, o condutor será convidado a realizar o teste tradicional. Quando o resultado for negativo, uma luz verde acende, indicando que não houve consumo de álcool. O teste dura menos de 10 segundos.

Nas situações em que seja constatada a presença de álcool na triagem e o etilômetro tradicional determine a quantidade consumida, será determinado se cabe o recolhimento da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e multa administrativa no valor de R$ 2.934,70 ou a prisão em flagrante, quando o bafômetro acusar valor superior a 0,33 miligramas de álcool por litro de ar expelido.

Segundo a PRF, são realizados cerca de seis mil testes de etilômetro por mês. O novo equipamento deve proporcionar uma economia de bocais de etilômetro, que são descartados a cada novo teste realizado. Além da agilidade para a realização dos testes, há vantagens na questão de impacto ambiental ao reduzir o descarte de bocais de material plástico.

O uso do aparelho de triagem tem início na sexta-feira, 22, durante a abertura da segunda etapa da Operação Integrada Rodovida 2018/2019. A ação, que tem o objetivo de diminuir e evitar acidentes graves durante o período de maior movimentação nas rodovias, deve seguir até o dia 9 de março.

Fonte: O Povo Online.

Compartilhe esta publicação