Uma ação da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio da Delegacia Regional de Quixadá, na noite dessa quinta-feira (25), resultou na apreensão de uma carga ilegal com mais de 1.300 munições que seriam comercializadas no Sertão Central do Estado. Além da carga, quatro pessoas foram presas em flagrante.

O resultado da ação é oriunda de uma investigação desenvolvida pela PCCE em Quixadá referente à venda irregular de munições na cidade. Entre os presos, está um homem já conhecido da Polícia. Ele foi preso em 2017 pelo mesmo crime. Trata-se de Célio Morais Holanda (43), o “Nego do Alho”, que já responde por periclitação da vida ou saúde e comércio ilegal de arma de fogo.

Também foi preso o filho de “Nego do Alho”, identificado como Wanderson de Paulo Bezerra Holanda (21), e as pessoas de Márcio Aurilo Nogueira de Oliveira (40) e Francisco Gideone da Silva (20), todos eles sem antecedentes criminais. As prisões ocorreram na Rua Eusébio de Queirós, no bairro Planalto Universitário, em Quixadá, na Área Integrada de Segurança 15 (AIS 15) do Estado.

No total, a Polícia Civil apreendeu 1.319 munições – sendo 199 de calibre 12, 230 de cal. 20, 225 de cal. 22, 96 de cal. 28, 273 de cal. 32, 100 de cal. 36, 120 de cal. 38 e 76 de cal. 44 – além de 476 de estojos vazios de calibres diversos (utilizados para recarga), espoletas, 152 quilos de esferas de chumbo, 575 frascos de pólvora.

Também foram apreendidos três aparelhos celulares e os veículos que faziam o transporte da carga – um Fiat Toro prata, de placas POZ-8816 e um caminhão Ford Cargo 2429L vermelho, de placas OIK-0379. Conforme as investigações policiais, o material é oriundo da cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Todos os suspeitos foram encaminhados à sede da Delegacia Regional de Quixadá, onde foram autuados em flagrante por porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e de uso restrito. A Polícia Civil mantém as investigações no sentido de identificar outros partícipes na atividade criminosa.

Reincidência

As investigações giraram em torno de Célio Morais que, em outubro de 2017, foi preso pela Polícia Civil com mais de 39 mil munições de vários calibres, nove toneladas de chumbo, quatro toneladas de pólvora, mais de R$ 10 mil em espécie e R$ 15 mil em folhas de cheque. Na ocasião, além de apreender o material, a Polícia Civil fechou os depósitos onde eram armazenados os ilícitos. Além de Célio, a Polícia Civil prendeu o genro dele, José Nilton Oliveira Vidal Junior.

Denúncias

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam auxiliar os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas pelo número (88) 3445-1047, da Delegacia Regional de Quixadá, ou para o WhatsApp da unidade policial pelo número (88) 98821-6771. O sigilo e o anonimato são garantidos.

Siga-nos e fique bem informado

👍 Siga nos #Instagram
https://www.instagram.com/quixeramobim_alerta/

👍 Curta nossa página no Facebook.
https://www.facebook.com/Quixeramobimalerta/

Fonte: SSPDS.

Compartilhe esta publicação