Polícia Civil captura oitavo suspeito envolvido no roubo de carga de explosivos.

Uma operação conjunta deflagrada pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e da Unidade Tático Operacional (UTO), resultou na captura de mais um suspeito envolvido no roubo de uma carga de explosivos, em dezembro de 2018, no município de Aquiraz, na Área Integrada de Segurança 13 (AIS 13). Francisco Antônio Pinheiro (34), conhecido pela alcunha de “Chico Bento”, é apontado como motorista que deu cobertura à ação criminosa, que contou com a participação direta de outros três suspeitos. A prisão de “Chico Bento” foi efetivada, na manhã da última sexta-feira (8), no bairro Barroso, em Fortaleza (AIS 3). Ele se junta a outros sete suspeitos que se encontram presos pelo crime. Detalhes da prisão de “Chico Bento” e do caso foram apresentados, na tarde desta segunda-feira (11), no auditório do Complexo de Delegacias Especializadas (Code), em Fortaleza.

Francisco Antônio Pinheiro (34), conhecido pela alcunha de “Chico Bento”

Conforme levantamentos policiais, “Chico Bento” estava na direção do carro que abordou o motorista do caminhão que levava a carga de explosivos. A ação criminosa aconteceu num trecho da Estrada da Coluna, no município de Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza. A Polícia Civil identificou o suspeito e outros três partícipes na cena do crime. São eles: José Gil Ferreira da Silva (22), conhecido por “Tizil”, preso no dia 14 de janeiro, em Quixadá (AIS 15); Welyson Nogueira Fernandes Gomes (21), conhecido por “Cueca”, que se encontra foragido; e um quarto suspeito identificado apenas como “Negão”.

Com vasta ficha criminal pelos crimes de lesão corporal, injúria, ameaça, roubo, receptação, associação criminosa, resistência, desobediência, desacato, corrupção ativa, violência doméstica, perturbar o sossego alheio, crime contra a ordem econômica, crime ambiental e crime de trânsito, “Chico Bento” foi indiciado por roubo, receptação e por integrar organização criminosa.

Demais prisões

Em uma incursão de equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), realizada no dia 12 de janeiro, no bairro Jangurussu (AIS 3), além de apreenderem cinco toneladas da carga roubada, os policiais civis prenderam seis suspeitos no local. Antônio Breno da Silva Pinheiro (24), com passagens por roubo, receptação e corrupção de menor; Jeferson Igor Alves (24), com passagem por desobediência; Francisco Diego Cunha Ferreira (25), com passagem por homicídio; Marcelo Pereira dos Santos Filho (20), com antecedentes por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e receptação; e os irmãos, que não tinham antecedentes criminais, Antônio Carlos Ávila Costa (27) e Vinicius Ávila Costa (23). Todos os suspeitos foram autuados em flagrante por porte irregular de arma de fogo, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e por integrar organização criminosa.

Após o roubo dos explosivos, o grupo criminoso negociou a carga com Daniel Belmiro José Rodrigues (47), conhecido por “Negão”, conforme apurações da Draco e do Departamento de Inteligência Policial (DIP). Ele, que estava recolhido em uma unidade prisional cearense, foi responsável por comprar o material roubado, segundo dados da investigação policial. De fora da prisão, Daniel “Negão” recebeu ajuda da companheira Milene Constantino dos Santos (20), que ficou responsável por fazer o transporte e a guarda do material explosivo, ao lado de Ackel Jarley Bezerra Ferreira (35), conhecido por “Pantera”. Tanto Milena como “Pantera” estão presos. Já Daniel “Negão” foi transferido para o presidio federal em Mossoró-RN.

As mais de 5,6 toneladas da carga roubada apreendida foram localizadas em dois endereços distintos, em Fortaleza. Cinco toneladas foram localizadas em uma casa abandonada, no bairro Jangurussu, enquanto o restante foi encontrado quatro dias depois da primeira ação, em um apartamento de um conjunto habitacional, no bairro Granja Lisboa (AIS 2). As equipes policiais seguem com as investigações e mantém as diligências para capturar os últimos dois foragidos: Welyson Nogueira Fernandes Gomes (21), conhecido por “Cueca”; e “Negão”.

Fonte: SSPDS.

Compartilhe esta publicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!