Com base no levantamento de informações da Delegacia Regional de Aracati, a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) conseguiu detectar movimentações financeiras irregulares que chegam a mais de R$ 100 milhões em cinco anos, apenas nos dados verificados de duas empresas investigadas. A Operação Intocáveis, deflagrada na quinta-feira (24), é resultado de diligências policiais que apuram crimes de fraude em licitações, corrupção ativa e passiva, falsidades (documentos e ideológica) e lavagem de dinheiro, no período entre os anos de 2013 até a atualidade, nas prefeituras e câmaras municipais de Aracati e Itaiçaba.

Com uma ofensiva que envolveu cerca de 120 policiais civis, os agentes deram cumprimento a 29 mandados de busca e apreensão em endereços localizados em Aracati, Itaiçaba, Icapuí, Fortaleza, Itaitinga e Eusébio. No balanço da operação, foram apreendidos R$ 100.459,00 em espécie, além de vários documentos, que serão analisados pelas equipes da Delegacia Regional de Aracati para identificar outras infrações e subsidiar ainda mais as investigações policiais. Além de Aracati e Itaiçaba, a Polícia Civil verifica o envolvimento dos suspeitos em outros municípios cearenses.

Os alvos da “Intocáveis” são gestores públicos e um núcleo financeiro formado por empresários suspeitos de combinar preços em licitações públicas e de fazer acordos para definição de vencedores nos processos administrativos nos municípios. Conforme descoberta feita no curso dos levantamentos policiais, algumas empresas que atuavam nos processos licitatórios são fantasmas ou de fachada e teriam sido criadas para facilitar a lavagem de capitais adquiridos nas negociações ilícitas.

Durante o cumprimento das ordens judiciais, um homem de 52 anos, natural de Mossoró, no Rio Grande do Norte, foi flagrado com dez munições de calibre 25 intactas. Nas buscas no imóvel do investigado, os policiais civis encontraram recortes de jornais de uma reportagem, do ano de 1995, acerca de um assalto a banco no município de Iracema (CE). No trecho encontrado pelos agentes, há uma entrevista com o alvo dando detalhes de como foi a participação dele no crime. O homem foi autuado em flagrante por posse irregular de arma de fogo. Ele foi ouvido e liberado após pagamento de fiança.

A Polícia Civil mantém as investigações e não divulga os nomes dos investigados para não comprometer o andamento do trabalho policial. As equipes policiais verificam a conduta dos agentes públicos e empresários suspeitos de participarem do esquema criminoso que lesou a administração pública dos municípios cearenses.

👍Nos acompanhe pelas Redes Sociais.
INSTAGRAM:
https://instagram.com/quixeramobim_alerta?igshid=o9ua0jcc4btv
FACEBOOK:
https://www.facebook.com/Quixeramobimalerta/
YOUTUBE:
https://www.youtube.com/channel/UCyrL1CH9pL4VevySKReSfV

Com informações da SSPDS

Compartilhe esta publicação