O Senado Federal manteve hoje o veto as alterações Lei 13.998/20, sancionada em maio pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que fazia mudanças nas regras do auxílio emergencial. Foram 45 votos a favor e 17 contra.

Os itens que foram vetados previam: recebimento cumulativo de Bolsa Família e auxílio emergencial de R$ 600,00; recebimento do auxílio pelo pescador artesanal durante o período em que não receber o seguro-defeso; possibilidade de pai solteiro receber duas cotas do auxílio emergencial; e fixação do critério de meio salário mínimo para recebimento do BPC (Benefício de Prestação Continuada).

Com a manutenção de todos os itens, a Câmara dos Deputados não precisará votar a questão, pois para a derrubada de um veto é necessária o apoio da maioria dos deputados (257) e dos senadores (41).

Dentre os artigos aprovados na Lei, à época, está a troca do recebimento do Bolsa Família pelo auxílio emergencial, se for mais vantajoso. Ainda permitia o cancelamento do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) para os contratos assinados antes da vigência do estado de calamidade pública pela pandemia do novo coronavírus.

👍Nos acompanhe pelas Redes Sociais.
INSTAGRAM:
https://instagram.com/quixeramobim_alerta?igshid=o9ua0jcc4btv
FACEBOOK:
https://www.facebook.com/Quixeramobimalerta/
YOUTUBE:
https://www.youtube.com/channel/UCyrL1CH9pL4VevySKReSfV

Com informações do UOL Notícias

Compartilhe esta publicação